quinta-feira, 18 de maio de 2017

Esperança

Despreza a razão
O fumo do mal,
A grande aflição
Do mundo afinal.

Revolta tremenda
De vil criatura
Privada de emenda
Por densa negrura.

Ameaça sofrida,
A barca balança.
Em noite perdida
Valeu a esperança.

A virgem Maria,
Vestida de sol,
Do homem a guia,
Será o farol.

Para o Cristianismo, o morto não é o cadáver mas o monte de carne a dar à pata. Este monte de carne não está em condições de lutar contra a tirania porque está privado do Transcendente. Ora um homem privado do Transcendente está privado de si.

O homem sem lá,
De vida sumida,
Apenas de cá,
É carne morrida.

É carne morrida,
Um monte de nada,
Palavra fingida
E sempre gamada.

E sempre gamada,
Do mundo a razia,
De cima tramada
Por vil tirania.

Por vil tirania,
Algoz do mendigo,
Barriga vazia
À roda consigo.

Versos de jmarafuga

Sem comentários:

Enviar um comentário